DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O SEXTO MANDAMENTO: Êx:20.13;

Não Assassinarás este é o significado do original hebraico “lo torretsaj”: Os Legalistas afirmam que só se assassina quando pratica a ação? Os Pietistas afirmam que não se pode matar em legítima defesa de si ou do próximo? E o que a Bíblia tem a dizer quanto ao significado da proibição de assassinar? Vejamos alguns pontos:
(1). O sexto mandamento proíbe o assassinato! No caso do primeiro assassinato motivado provavelmente por inveja de ver a oferta de seu irmão ser aceita por Deus e a sua oferta ser rejeitada, Caim assassinou Abel a sangue frio e na covardia, ou seja Caim planejou e assassinou premeditadamente seu irmão, mesmo sendo advertido por Deus para que dominasse seu pecado Gn:4.1-8; Caim atentou contra o principal direito de todo ser humano, a vida; não foi apenas um ato isolado contra seu irmão, foi um ato contra toda a humanidade contra o Criador de todas as coisas! Jr:51.15-19; Quando alguém decide assassinar o próximo; ele está querendo usurpar o lugar de Deus Dt:32.39; Só Deus tem o direito sobre a vida ou a morte de suas criaturas! Para o assassino a vida do próximo não tem valor, se mata pessoas por motivos banais e é o próprio assassino que relata o fato às suas mulheres quando afirma que matou um homem por vingança e um rapaz que lhe pisou G:4.23; Para Deus a vida de suas criaturas tem muito valor, porque Deus criou o ser humano a sua imagem e semelhança Gn:1.26-27; é como se o ser humano refletisse o Ser de Deus; o ser humano é um representante de Deus aqui na terra mesmo que após a queda essa imagem esteja manchada pelo natureza pecaminosa e pelo pecado; assassinar qualquer uma de Suas criaturas é afrontar diretamente a Deus! Foi o que aconteceu quando Caim assassinou Abel, o sangue de Abel clamou pela justiça de Deus que de imediato foi sentenciada Gn:4.10-12; Os Legalistas foram repreendidos por que pregavam que só se comete pecado quando pratica? Mas Jesus afirmou que assassino, adúltero, etc., é todo aquele que não só pratica mas antes maquina o pecado Mt:5.21-27;
(2). O sexto mandamento não proíbe o homicídio em legítima defesa! Quando ágüem matava seu próximo involuntariamente a pena capital não era aplicada pelo vingador de sangue, o julgamento do indivídu-o girava em torno de suas intenções, no caso de alguém morrer por acidente, se quem provocou o acidente tinha a intenção de matar era condenado, se não tinha a intenção de matar era absolvido, nos dois casos eram mandados para a cidade de refúgio para aguardar o julgamento diante da congregação e ouvir a sentença Nm:35.9-12,22-25; Portanto quando alguém é atacado é o agressor que tem a intenção de matar, se o agressor vier a morrer pela ação de auto defesa do agredido logicamente que não será tratado como homicida pela Lei de Deus, nem pela consciência humana; isto vale também para casos de acidente involuntário e em defesa da nação em caso de guerra e em defesa de inocentes Dt:19.4-10;
(3). O sexto mandamento não proíbe a aplicação da pena justa pelo assassinato! Os Pietistas confundem o perdão com a impunidade; o passar a mão por cima; fechar os olhos para o pecado como fez o Sacerdote Eli com seus dois filhos, que apenas se queixava dos pecados deles e não aplicava nenhuma punição equivalente como mandava a Lei de Deus; seus filhos foram punidos pela prática do pecado e Ele foi punido por negligenciar a punição da Lei de Deus 1Sm:2.22-36; toda transgressão cometida contra o próximo deve ser perdoada porque o perdão é incondicional, não precisa esperar o transgressor pedir perdão; Mt:18.21; mas também se deve aplicar a devida punição através de castigos equivalentes ao pecado; Pv:11.21; sem a qual gerará uma sensação de impunidade e destemor no transgressor! A impunidade gera violência! Um dos latrocidas lá na cruz do Calvário queria ficar impune da pena capital, já o outro reconheceu que era merecedor da punição pelo seu pecado; Jesus o perdoou e salvou sua alma, mas não o livrou da justa punição da Justiça Secular Lc:23.39-43; no caso de assassinato nem mesmo o altar livrava o assassino da justa punição Êx::21.12-14; Deus delegou esta punição aos homens Gn:9.6; através do Estado e Magistrados Rm:13.1-7; não foi a toa que Cristo disse: “...pois todos os que lançam mão a espada à espada perecerão...” Mt:26.52; e o Apóstolo Paulo: “... Caso, pois, tenha eu praticado algum mal ou crime digno de morte, estou pronto para morrer...” At:25.11; Onde não é aplicada a punição equivalente ao delito, através do justo julgamento; prolifera-se a vingança, linchamentos, grupos de extermínio, etc. No sistema judiciário bíblico a prisão não era a punição, mas era o local onde o infrator esperava o julgamento em segurança Nm:35.9-15; após o julgamento se no caso de furto em propriedade a punição era restituir, dependendo do objeto, em dobro, triplo, etc., fazendo com que o furto não compensasse Êx:22.1-14; no caso de assassinato a punição equivalente era a pena capital, objetivando extirpar o mal e preservar a vida dos inocentes Dt:19.11-13; Quem deve ser salvo, o assassino ou o inocente? Jó:36.5-6; Neste sistema o assassinato não compensaria a perda da própria vida!
Devemos amar nossos inimigos e perdoá-los, jamais ser omisso em defender os inocentes aplicando a Justiça de Deus! Jesus aboliu todas as penas capitais pela quebra do sábado Lc:6.9; adultério Jo:8.1-11; etc. Exceto o assassinato! Mt:26.52; não devemos orar pelo pecado de morte! 1Jo:5.16-17; é um pecado em que a punição temporal é irrevogável Êx:21.12-14; Os Legalistas e Pietistas devem atentar para a bondade e severidade de Deus! Rm:11.22; Porque Deus é Amor mas também é Justiça! Amém! Pb. Silvio Romero Santos.

Nenhum comentário: