DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

quarta-feira, 7 de julho de 2010

A GRANDE CEIA Lc:14.15;

Jesus estava na casa de um dos principais fariseus para comer pão Lc:14.1; e reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs aos convidados uma parábola: Lc:14.7; Jesus passou a ensinar-lhes sobre a necessidade de se humilharem primeiro se quisessem serem honrados depois, não como uma troca, mas como uma conseqüência da verdadeira humildade Lc:14.11; Jesus não estava dando dicas de “boas maneiras” aos convidados, mas ensinando que cada um deveria reconhecer sua condição de meros homens pecadores e sem justiça própria que merecesse alguma honraria; Jesus fala com muita propriedade na parábola do fariseu e o publicano onde quem confiou nos seus méritos foi humilhado e quem se humilhou confiando na misericórdia de Deus foi justificado Lc:18.9-14; Para aquele que O havia convidado, Jesus contou outra parábola com o intuito de rebater a idéia de “troca” ou de “segundas intenções” quando ensinou a não convidar os amigos ou ricos para ser recompensado mais tarde Lc:14.12; mas que a conseqüência de não agir com sengundas intenções é ser bem-aventurado diante de Deus e receber a recompensa nos céus Lc:14.13-14; Só que depois de Jesus ter ensinado tudo isso, alguém que estava à mesa com Ele disse: “Bem-aventurado aquele que comer pão no reino de Deus” Lc:14.15; O que ele quis dizer com esta declaração? Será que todos compreenderam o ensino de Jesus? Na primeira parábola todos ficaram calados, na segunda houve este comentário, talvez quem o fez queria mudar de assunto? Mas por conta dessa declaração Jesus respondeu com uma terceira parábola para explicar o verdadeiro sentido desta frase e por em cheque aqueles que declaram alguma coisa da “boca para fora”, Jesus lhes dá a resposta com a parábola da grande Ceia Lc:14.16-24;
(1). Devemos atentar primeiramente para os convites, pois o senhor da ceia fez um convite prévio para muitos antes da ceia Lc:14.16; e outro convite no momento da ceia Lc:14.17; Este era o costume da época Et:5.8; O primeiro convite representa o chamado geral do Evangelho. Ou seja o chamado externo, onde muitos são chamados Mt:22.14; notemos que ninguém recusou o convite, ninguém recusou os benefícios oferecidos pelo senhor da ceia, não quer receber um convite desse? Da mesma forma quem rejeita as bênçãos do Evangelho, os milagres, os galardões, as promessas, etc, todos querem comer pão no reino dos Céus! Mas todos estarão lá? Ap:19.9; Jesus em Suas mensagens usou muito deste chamado geral Ap:3.20; o evangelho está à porta, chamando a todos pela Palavra Rm:10.17; mas só irá atender o chamado de forma eficaz, se o Espírito santo vivificar o morto espiritual Ef:2.1-6; que está atrás da porta. Este é o segundo chamado, o chamado interno. O Espírito Santo capacita o pecador a responder pela fé ao chamado do Bom Pastor Jo:10.27-28; este é que de fato irá cera com Jesus Cristo.
(2). Na hora da ceia mandou chamar aqueles seus convidados e cada um começou a escusar-se Lc:14.20; uma da maiores ofensas para alguém é ter seu convite desprezado por desculpas esfarrapadas; já que estas coisas poderiam serem feitas depois da ceia? O senhor irado mandou seus servos buscar aqueles que tanto os primeiros convidados desprezaram Lc:14.21; pois acharam que tinham coisas mais importantes para fazer do que aceitar o convite do senhor! Voltando seus servos ainda havia lugar e o senhor mandou buscar também os de fora Lc:14.22-23; temos aqui a manifestação das misericórdias de Deus através da Graça irresistível Ef:2.1-10; Jesus além de contar uma parábola profetizou contra os fariseus que rejeitaram o chamado geral do Evangelho, que eles não teriam uma segunda chance Lc:14.24; eles que pensavam que seriam os primeiros e mais dignos no Reino de Deus, nem estariam lá! Mt:21.42-45;
Será que nós temos pensado que o Reino de Deus é comida e bebida como os fariseus? Será que nós nos encontramos inseridos nos verdadeiros bem-aventurados? Mt:5.1-11; Será que os nossos afazeres são mais importantes do quê o Reino de Deus? A questão é que se passamos a vida inteira desprezando Deus, o chamado do evangelho, o estudo da Bíblia, o culto a Deus, as orações, o louvor, o batismo, a Ceia do Senhor, a comunhão da Igreja, a Fé, etc, como é que iremos desfrutar dessas bênçãos eternas lá nos Céus se não as buscamos aqui na terra? Is:55.6; Amém!
Pb.Silvio Romero Santos.

Nenhum comentário: