DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

quarta-feira, 2 de março de 2011

A filha de Jefté foi sacrificada? Jz:11.29-40;

Jefté fez um voto ao Senhor: “Se totalmente entregares os filhos de Amom nas minhas mãos, qualquer que saindo da porta da minha casa, me vier ao encontro, voltando eu vitorioso dos filhos de Amom, esse será do Senhor e o oferecerei em holocausto.” V.30-31;
Alguns afirmam que Jefté ofereceu sua filha literalmente em holocausto por conta do termo significar “um sacrifício cruento” e por ser também um “costume dos povos da época”? vejo que estas afirmações são baseadas em versículo isolado e fora do contexto. Verdadeiramente Jefté cumpriu seu voto e verdadeiramente Deus aceitou a sua oferta! Mas dirá alguém: “Como Deus pode receber a oferta de sacrifício humano, se o Decálogo diz que matar é contra a vontade de Deus?” Devemos analisar o contexto bíblico e da época e os personagens envolvidos:
(1). Quando Jefté propôs oferecer alguém em holocausto, ele não estava em nenhum momento pensando em tirar a vida de alguém, pois isso é contrário a lei de Deus. Mas quando fez o voto, seu objetivo era oferecer o valor estimativo de uma pessoa, que no caso foi uma mulher, e a avaliação foi de trinta siclos, para uma mulher acima de vinte anos, e de dez ciclos para uma mulher abaixo de vinte anos até cinco anos. Lv:27.1-5; Como o texto não fala da idade da filha de Jefté colocamos as duas medidas prováveis. V.37;
(2). O problema de Jefté foi que a primeira pessoa que apareceu ao seu encontro, foi a sua filha, e não seus servos como de costume, daí o seu lamento v.34; pois ele não teria apenas que pagar a oferta de uma mulher, mas esta mulher deveria ser consagrada, a Deus como sacrifício vivo, ou seja Jefté teria que entregar a sua filha como pagamento do seu voto, tal qual fez Ana com Samuel. 1Sm:1.11,28; Nos dois casos era permitido oferecer apenas o valor de uma pessoa em sacrifício ou a própria pessoa em sacrifício vivo ou os dois, o valor e a pessoa, provavelmente Jefté estaria pensando nisso quando fez o voto.
(3). A filha de Jefté chorou a sua virgindade, se ele achasse que iria morrer em sacrifício cruento logicamente não estaria chorando a sua virgindade e sim a sua morte! ou seja não poderia se casar, pois teria que se consagrar em sacrifício vivo ao Senhor Deus, por isso ela pediu ao pai para passar dois meses longe de casa. De forma alguma ela teria pensado que iria morrer, tanto é que voltou ao seu pai, o qual cumpriu o seu voto v.39;
Infelizmente a pobre filha de Jefté que pagou o preço de um voto impensado do pai, não que o voto esteja errado mas sim a subjetividade de quem iria pagar esse voto. Por causa desse erro de Jefté a sua filha jamais conheceu varão, aqui comprova a interpretação natural do texto ou seja a filha de Jefté cumpriu o voto do pai permanecendo casta por toda a sua vida, tal qual se faz no caso das freiras em conventos! (Jefté não pôde ser avô, já que ela era a sua única filha e ele não tinha filho v.34;) daí surgiu o costume de chorar pela filha de Jefté v.40;

Pb. Silvio Romero Santos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns pastor Silvio R. por esta linda interpretação. Excelente mesmo.

Aliás, o senhor, tem sido, em seus programas, via rádio, uma fortaleza, na boa maneira de se falar é claro, contra aqueles que se tornaram malandros de púlpitos, nos assuntos diários em questão, que envolve a fé alhéia do povo.

Estou no 4º ano de direito, e por incrivel que pareça, até os professores não crentes,em sala de aula, levanta grandes questões relativo aos grandes escândalos mencionados.

Aproveitando esta oportunidades, quero dizer que, está começando a surgir uma nova modalidade de "status", que é, para estar acima do título de "apóstulo"; vai ser "O PATRIARCA". ( "O PATRIARCA FULANO DE TAL, VAI ESTÁ PREGANDO LÁ NO MOVIMENTO TAL").

Sucesso no seu ministério.


Pb. Joel Assunção ADBRÁS.