DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

quarta-feira, 30 de maio de 2012

CARTA AO MEU AMIGO ATEU - I



 Meu amigo Zaratustra,Ontem recebi e li atenciosamente sua carta na qual você manifesta seu ódio contra a fé cristã e tece os mais desprezíveis comentários contra o Deus da Bíblia.Confesso que isso muito me assustou, especialmente porque até um tempo atrás você era um jovem de convicção cristã que tinha a Bíblia como seu livro favorito. Mas, tudo bem, você agora é um ateu e, quer me persuadir a tornar-me um.Nas minhas cartas anteriores já deixei claro a você que tenho minhas razões para não ser ateu. Não acredito que o ateísmo traria respostas satisfatórias para minha vida aqui, debaixo do sol.Notei nesta sua ultima carta que você tem um ódio consumado contra Deus, o que me fez perguntar se você realmente não acredita que ele existe. Qual é o seu problema, cara? Se Deus não existe porque você tem tanto ódio Dele? Afinal, que razão há em odiar alguém que não existe?Outra coisa que me chamou atenção em sua carta é que suas respostas aos meus questionamentos foram as mais absurdas e irracionais possíveis. Fiquei me questionando: será que o Zaratustra está realmente fazendo uso correto das suas faculdades mentais aos responder minhas indagações? De acordo com o que você me escreveu, honestamente, penso que não!Por exemplo, sobre minha pergunta “quem criou o universo?” você me respondeu que o universo não foi criado por ninguém, ele veio do nada e por nada. Com isso você quis dizer que a partir do nada, o universo evoluiu por meio de processos naturais que levaram à formação de átomos, moléculas, estrelas, planetas, galáxias e vida.Eu não concordo com você! Não acredito que o universo veio do nada e por nada! Essa sua declaração não faz sentido e é uma aberração do ponto de vista científico e filosófico, uma vez que “do nada, nada vem” (ex nihilo, nihilo fit). A lógica afirma coerentemente que todo efeito deve ter uma causa. Isso quer dizer que tudo o que tem princípio de existência tem uma causa além de si. Penso que nisso você concorda comigo. Aliás, acertadamente você define efeito como “aquilo que foi causado por outra coisa”. Um relógio seria o efeito, a causa seria o relojoeiro (o homem). Assim, é impossível ter um efeito (o relógio) sem uma causa (o homem), porque um efeito, por definição, é algo que tem uma causa. Nisso nós concordamos.Mas, o problema é que quando se trata do universo você foge da questão e diz que o universo não tem uma causa além de si. Quero lembrá-lo, no entanto, que a ciência moderna já demonstrou que o universo teve um começo, ou seja, ele é um efeito. Assim, o universo sendo um efeito, não pode não ter uma causa e nem pode ser sua própria causa, meu caro. Para que o universo existisse sem uma causa ele deveria ser a causa de si mesmo. Mas isso é uma impossibilidade, uma vez que precisaria existir antes de existir. E somente na sua religião ateísta isso é possível.Quanto à minha segunda pergunta “por que existe algo e não nada?” você simplesmente ignorou! Não me deu resposta satisfatória e apenas afirmou que essa é uma questão filosófica difícil. Que é difícil eu já sei. No entanto, Zaratustra, creio que existe algo e não nada porque algo ou alguém sempre existiu. Em outras palavras, alguém é eterno, alguém sempre esteve lá; pois se houve um momento passado onde existia apenas o “nada absoluto”, logo nada existiria hoje, porque do nada, nada vem.Portanto, não posso aceitar sua absurda explicação de que o universo veio do nada e por nada. Isso não faz nenhum sentido! Alguém já estava lá!Você ainda me desafiou a provar que o universo foi criado por alguém. Quero lembrá-lo de que muito mais difícil do que provar que um relógio foi criado por alguém, é demonstrar que ele não teve um criador, pois, assim sendo, ele não existira. Se tenho um relógio em minhas mãos, não posso simplesmente argumentar: “esse relógio não foi feito por ninguém, ele simplesmente apareceu! O nada o formou!” eu diria que isso sim é absurdo. Mas, é isso que você faz quando se trata do universo. Porém, se o universo é algo real, alguém necessariamente precisa tê-lo feito. Você disse que esse meu argumento é ilógico e irracional; porém, ilógico e irracional seria afirmar: “este relógio se formou sozinho durante o processo de bilhões de anos”, ou ele se auto-criou! Isso é filosoficamente absurdo e analiticamente falso. Assim, Zaratustra, você está diante de um dilema. Ao mesmo tempo em que o mundo em que vivemos clama por uma explicação, você é incapaz de me dá uma explicação consistente. Se você defende que o mundo é eterno, então estás contra a ciência moderna que mostra que o Universo teve princípio e está se deteriorando. Se você me disser que o Universo teve um princípio, então me responda: o que o causou? Se você diz que o universo veio do nada, estás contra a lei da física que diz que do nada, nada vem. Lamentavelmente você não tem respostas adequadas para essas perguntas.Essa é a primeira razão pela qual rejeito sua opinião: Creio que o Universo tem uma causa Absoluta e maior do que ele, que não é simplesmente uma coisa, mas uma pessoa que a Bíblia chama de Deus. “No princípio...Deus...” (Gn 1.1).Que Deus tenha misericórdia de sua vida e faça você se arrepender da loucura de existir em rebeldia deliberada contra Ele.Pela Verdade do Evangelho,D’VanCunha09 de Maio de 2012.

Nenhum comentário: