DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Ricardo Nicotra explica como O Pai e o Filho, são ‘Um’



“Deus, o Pai e seu Filho, Jesus Cristo, compartilham o mesmo espírito (pneuma), por esta razão o Pai e o Filho são um. “Eu e o Pai somos um.” - João 10:30. “Tudo quanto o Pai tem é meu...” - João 16:15. Jesus Cristo e o seu Pai são duas pessoas distintas, mas são um em espírito. Jamais lemos na Bíblia “eu, o Pai e o Espírito Santo somos um”. Reiteramos: O Pai e o Filho são um porque possuem o mesmo pneuma (espírito). Trata-se de uma unidade espiritual. O Espírito de Cristo está no Pai e o Espírito do Pai está no Filho: “Quem me vê a mim vê o Pai... Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim.” - João 14:9 e 11. Ora, é impossível aceitar que o Pai está no Filho e o Filho está no Pai de forma física. É claro que Cristo está dizendo que o Pai está espiritualmente no Filho e o Filho está espiritualmente no Pai. Da mesma forma podemos ser um com Deus e com Cristo se recebermos em nós o Espírito (pneuma) de Deus. Isso Jesus deixou bem claro em sua oração intercessória relatada em João 17: “A fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.” - João 17:21. 28 “EU E O PAI SOMOS UM” O plano de Deus é que sejamos um com Ele e com seu Filho. Não uma única pessoa sob o aspecto físico, mas uma unidade espiritual, ou seja, que tenhamos o mesmo Espírito (pneuma) de Deus e de Cristo, mesmo sendo pessoas diferentes.” (EPSU, p. 27, 28).Não entendi nada... ou entendi?Para Nicotra é possível Jesus e o Pai terem o mesmo espírito, mas não é possível terem a mesma Divindade? Nicotra tenta dar novas explicações, mas não pode ser objetivo. O que reproduzi acima é um exemplo da confusão teológica que alguém pode entrar, quando a abandona a fé verdadeira!Irei me concentrar na alusão que ele faz de Jo 10.30 com 17.21, 23, 26. Em ser o Pai um com o Filho e os cristãos unir-se a Eles. Respondo da seguinte maneira:1º) Existe uma união que o Filho tem com o Pai, que jamais será usufruída pelos discípulos ou por anjos. A plenitude da Divindade (Cl 2.9).2º) Existe uma união que o Filho tem com o Pai, que jamais será usufruída pelo Espírito Santo, a filiação eterna (Jo 1.18).3º) Existe uma união que o Filho tem com o Pai, que É usufruída pelos discípulos, a união pactual, recebida por meio de Cristo, na regeneração do Espírito Santo; a adoção (Gl 4. 4, 5, 6). 4º) A Bíblia diz também que nós somos de Deus, em Cristo (1 Co 1. 30). Essa é uma união forense.Ricardo Nicotra desconsiderou essas distinções, por isso confundiu Jo 10.30 com 17.21,23,26. Os contextos de ambos os textos estabelecem o sentido que deve ser atribuído, conforme pretendido pelo Senhor Jesus.O Contexto de João 10. 30, deixa explicito a igualdade de Jesus com o Pai, tal como em Jo 5.18. Em João 17, a oração de Jesus pelos discípulos, deixa explícito a unidade intencionada. Como povo de Deus, família do Senhor.

Nenhum comentário: