DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

sexta-feira, 27 de julho de 2012

O A PREGAÇÃO EVANGÉLICA COMO MEIO DE CONDENAÇÃO DO MUNDO



A maioria das vezes pensamos que ao evangelizar isso resultará em conversão de almas, enfim, que colheremos os frutos de nossa pregação com conversões, contudo isso não acontece, pelo simples fato que a maioria das vezes nossa pregação evangélica é apenas um meio que Deus usará para condenar o mundo. Ilustrarei esse ponto de vista com um exemplo bíblico.O exemplo bíblico a que me refiro é o chamado profético de Isaías. Deus não o chama para converter os corações dos israelitas, mas para condená-los. Em Is 6:9-10 Deus diz a Isaías:Vá, e diga a este povo: "Estejam sempre ouvindo, mas nunca entendam; estejam sempre vendo, e jamais percebam. Torne insensível o coração desse povo; torne surdos os ouvidos dele e feche os seus olhos. Que eles não vejam com os olhos, não ouçam com os ouvidos, e não entendam com o coração, para que não se convertam e sejam curados".             Claramente Deus não tinha em mente a salvação dos israelitas, ele ordenou que Isaías pregasse para que aquele povo rebelde fosse condenado, para que seus corações fossem fechados à verdade. Deus usou a pregação de Isaías como instrumento de juízo, e é isso que muitas vezes temos dificuldade de entender. Ao pregarmos, não raras vezes, Deus está usando nossa evangelização, não como instrumento de conversão, mas como instrumento de juízo, para condenar o réprobo, porque Ele diz a Moisés: Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão. (Rm 9:15)Não se enganem Cristo salvará apenas àqueles a quem o Pai lhe deu o resto será condenadoPor isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. (Jo 6:65).A salvação é para todos apenas no sentido de que todos que o Pai deu a Jesus serão salvos:Todo o que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei. Jo (6:37)não no sentido que a salvação é para o mundo inteiro, para todas as pessoas da humanidade, pois de fato, a maior parte da humanidade não são das ovelhas de Cristo:Jesus respondeu: "Eu já lhes disse, mas vocês não creem. As obras que eu realizo em nome de meu Pai falam por mim, mas vocês não creem, porque não são minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão. Meu Pai, que as deu para mim, é maior do que todos; ninguém as pode arrancar da mão de meu Pai. Eu e o Pai somos um". (Jo 10:25-30).As ovelhas quando ouvem o apelo do Evangelho são regenerados e têm seus olhos apertos para a verdade. Quanto aos réprobos, aqueles que não foram dados a Cristo pelo Pai, se escandalizam:Portanto, para vocês, os que creem, esta pedra é preciosa; mas para os que não , "a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular", e, "pedra de tropeço e rocha que faz cair". Os que não creem tropeçam, porque desobedecem à mensagem; para o que também foram destinados.   (1 Pe 2:7-8)Essa passagem é esclarecedora, pois ela mostra que Deus destinou alguns para desobedecerem à mensagem, ou seja, para a perdição. Mas então Deus é injusto?Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? "Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?’" O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso? E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com grande paciência os vasos de sua ira, preparados para destruição? Que dizer, se ele fez isto para tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de antemão para glória, ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre os gentios? (Rm 9:20-24)Portanto, Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer. (Rm 9:18)O fato é que Deus é soberano e pode fazer simplesmente tudo àquilo que Ele quiser do modo que Ele quiser. Ele não precisa se submeter à lei humana, pois Ele é sua própria lei. Deus é absolutamente autônomo, coisa que é impossível aos homens. Ele faz tudo conforme Lhe apraz e não precisa dar explicações a ninguém. O único padrão de justiça de Deus é Ele mesmo, pois não há nada mais elevado ao qual ele possa buscar orientação ou se comparar. Nós só podemos estudar sobre Deus aquilo que ele mesmo quis revelar sobre Si mesmo, de fato, a teologia é o estudo da palavra revelada de Deus e não do próprio Deus, já que é impossível estuda-Lo, pois Ele habita em eternidade inacessível, Deus não se põem como objeto de estudo de nenhuma ciência: Deus não pode ser medido. Sei que é intragável a muitos: a doutrina de que Deus destinou muitos para a perdição. Mas é isso que a palavra revelada de Deus mostra (leia Romanos 9), e nossa pregação varias vezes tem por objetivo ser o instrumento de condenação de Deus (leia Isaias 6), pois nem todos são ovelhas de Cristo dadas pelo Pai, assim como nem todo Israel é filho de Abrão, mas e o remanescente que será salvo. Não há motivo algum para desanimarmos em nossa evangelização, pois ela foi ordenada por Cristo, só isso já bastaria para nos motivar. Temos que fazer da motivação de Deus nossa motivação e não enveredar por esse humanismo patético que nos rodeia, fingindo amar, todavia, propagando a ilusão.

Nenhum comentário: