DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

2 PEDRO 2,1 – COMENTÁRIOS JOHN GILL


vivendopelapalavra.com Tradução e revisão livre: Helio Clemente   2 Pedro 2,1: “Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição”. As pessoas para quem o apóstolo escreve eram Judeus, peregrinos da Dispersão no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia, um povo que, em todas as épocas, se auto avaliava, e se ostentava poderosamente de ser resgatado: O povo adquirido pelo Senhor. Portanto, Pedro faz uso desta frase da mesma maneira como Moisés tinha feito antes dele, para agravar a ingratidão e impiedade dos falsos mestres entre os Judeus. Eles negaram, se não em palavras, pelo menos em atos, que o poderoso Jeová tinha redimido seus pais do Egito com braço estendido, e, em sucessivas eras, tinha lhes distinguido com favores peculiares. Eram, também, homens ímpios, convertendo a doutrina da graça em uma religião fria e legalista, voltada para os homens e não para Deus. A perda da salvação: Muitos religiosos usam este verso para afirmar que pessoas que foram justificadas por Deus podem perder a salvação, mas nada pode ser concluído desta passagem a favor da redenção em Cristo por aqueles que apostatam da fé; visto que nem Cristo, nem a morte de Cristo, nem a redenção pelo Seu sangue, são aqui alguma vez mencionados, nem pelo menos pretendido. Nem se pode imaginar que estas palavras são uma prova e exemplo da final e total apostasia dos verdadeiros santos, visto que não há qualquer coisa dita destes falsos mestres, que dê razão para crer que eles foram justificados por Deus, em Cristo, ou que tiveram alguma vez a graça do Espírito infundida em suas almas. 2 Pedro 2,3: “Também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme”. Vejamos alguns fatos a este respeito: - Pedro era o apóstolo aos judeus. Gálatas 2,8: “Pois aquele que operou eficazmente em Pedro para o apostolado da circuncisão também operou eficazmente em mim para com os gentios”. - Pedro foi endereçado aos judeus cristãos que estavam dispersos por toda a Ásia Menor. 1 Pedro 1,1: “Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, aos eleitos que são forasteiros da Dispersão no Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia”. - Os falsos mestres que ele menciona eram judeus. 2 Pedro 2,1: “Haverá entre vós falsos mestres”. Observe a similaridade entre a rebeldia e ingratidão do povo judeu em Deuteronômio abaixo: Deuteronômio 32,6: “É assim que recompensas ao SENHOR, povo louco e ignorante? Não é ele teu pai, que te adquiriu, te fez e te estabeleceu?”. Outro verso paralelo está em Deuteronômio 31,27 onde Moisés prevê a rebeldia e ingratidão do povo judeu após a sua morte. Deuteronômio 31,27: “Porque conheço a tua rebeldia e a tua dura cerviz. Pois, se, vivendo eu, ainda hoje, convosco, sois rebeldes contra o SENHOR, quanto mais depois da minha morte?”. Veja mais um paralelo entre o tratamento extremamente severo dado por Pedro aos falsos mestres e também por Moisés ao povo judeu. 2 Pedro 2,12: “Esses, todavia, como brutos irracionais, naturalmente feitos para presa e destruição, falando mal daquilo em que são ignorantes, na sua destruição também hão de ser destruídos”. Deuteronômio 32,5: “Procederam corruptamente contra ele, já não são seus filhos, e sim suas manchas; é geração perversa e deformada”. Estes falsos mestres judeus negam o Deus de Israel do mesmo modo como os seus antepassados o negaram. Atos 7,51: “Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e de ouvidos, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim como fizeram vossos pais, também vós o fazeis. Qual dos profetas vossos pais não perseguiram? Eles mataram os que anteriormente anunciavam a vinda do Justo, do qual vós agora vos tornastes traidores e assassinos”. Como estes falsos mestres judeus negavam o Deus de Israel no tempo de Pedro? Eles negavam o Deus de Israel ao negar o Senhor Jesus Cristo, apesar de que, a ênfase no verso em referência (2 Pedro 2,1) é sobre a negação do Deus dos judeus, que resgatou Israel do cativeiro. 1 João 2,23: “Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai”. Gill: “Se fosse permitido que aqueles que Cristo resgatou com o seu sangue o negassem, a redenção adquirida por Cristo seria em vão, e o preço pago seria pago por nada; o que não pode ser verdade”.

Nenhum comentário: