DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; Sola Scriptura, sola Gratia, sola Fide, soli Deo Glória, solus Christus;

DEFENDENDO A FÉ DESDE 1536; SOLA SCRIPTURA, SOLA GRATIA, SOLA FIDE, SOLI DEO GLÓRIA, SOLUS CHRISTUS; Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos. Judas:3;

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Deus elege os que são para serem salvos, baseados em obras previstas?


Alguns do que seguem visões não reformadas, creem na predestinação juntamente com a presciência. Deus elege e predestinas àqueles que Ele conhece que irá aceitar a Cristo, ter fé no Filho de Deus, ou seja, em uma obra prevista. Nisto, se baseiam em passagens como Novo Testamento, Romanos 8.29,30; 1 Pedro 1.2. Mas antes de explicar estas duas passagens  eu gostaria de fazer algumas perguntas para estes que creem na escolha de Deus, prevista em obras futuras de alguns.  Se Deus elege segundo as obras previstas, como é que esta pessoa conseguiu chegar a Cristo e outras não? Ao método de chegar a Cristo e outras não, como elas chegaram, por justiça própria ou um dom de Deus?Como diz R.C Sproul “Talvez tenha sido porque você era mais justo. Talvez tenha sido porque você era mais inteligente. Porque você é mais inteligente? É porque você estuda mais (o que na realidade quer dizer que você é mais justo?). Ou você é mais inteligente porque Deus lhe deu um dom de inteligência que se absteve de dar a outros?”¹. Agora tentarei explicar esta presciência que é descrita nestas duas passagens. Em Romanos 8.29,30diz assim: “Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos quais justificou a estes também glorificou.”. A palavra hebraica yada e as palavras gregas proginoskein e prognosis pode significar simplesmente “conhecer” ou “tomar conhecimento” de alguém ou de alguma coisa, mas pode ser empregada no sentido mais denso de “tomar conhecimento de alguém com amoroso cuidado”, ou “fazer de alguém objeto de amoroso cuidado ou de amor eletivo” (Jeremias 1.5; Amos 3.2). Estas duas palavras no Novo testamento não é determinado pelo o uso que delas é feito no grego clássico, mas pelo o sentido especial de yada. Elas não indicam simples previsão ou presciência intelectual, a mera obtenção de conhecimento de alguma coisa de antemão, mas, sim, um conhecimento seletivo que toma em consideração alguém o favorecendo, e o faz objeto de amor, e, assim, aproxima-se da ideia de predeterminação (Atos 2.23;4.28). Já que mostrei que no hebraico e no grego as palavras não são do mesmo modo que pensamos, e que as perguntas feitas acima não tem resposta para quem crê na eleição baseado em obras porque senão irá contrariar a Palavra de Deus, porque as nossas obras e justiças diante de Deus, de nada mais vale a não ser consideradas como imundícias. Então, a passagem em 1 Pedro 1.2 se refere as pessoas e não quanto aos acontecimentos, no mesmo modo de tratamento em Romanos 9.11 “Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama),” . Ou seja, Paulo está relatando que, antes de que eles façam alguma coisa, Deus elege um e reprova o outro. Como diz Berkhof “Até os arminianos se sentem constrangidos a dar às palavras um sentido mais determinativo, a saber, conhecer previamente alguém com absoluta segurança, num certo estado ou condição. Este conhecimento prévio inclui a certeza absoluta desse estado futuro e, por essa mesma razão, chega bem perto da idéia de predestinação. E não somente as duas palavras acima referidas, mas até mesmo o simples verbo ginoskein tem esse significado específico em alguns casos, 1 Co 8.3; Gl 4.9; 2 Tm 2.19.”²Concluísse que, Deus sabe desde a eternidade quem irá chamar interiormente. Todos que ele chamar, ele também justificará. ¹ SPROUL, R.C – Eleitos de Deus,  3º Ed. Cultura Cristã, 2009, pp 93-94. ² BERKHOF, Louis – Teologia Sitemática, 3º Ed. Cultura Cristã, 2009, pp 105-104.

Nenhum comentário: